segunda-feira, 17 de maio de 2010

sugestão sobre papel de segurança

Novo papel de segurança para certidões de R.I. em São Paulo.

 

SUGESTÃO

 

Considerando que com o novo papel de segurança vão surgir muitos comunicados de futuros EXTRAVIOS, FURTOS e FALSIFICAÇÕES de papéis de segurança ou de certidões expedidas, tenho uma sugestão:

 

Já é comum que os papéis de segurança tenham numeração sequencial da folha no cabeçalho ou no rodapé.

 

Se essa numeração também fosse impressa com código de barras, seria possível a detecção automática de documentos falsos ou adulterados pelo código de barras por sistemas informatizados.

 

Isso porque já existe sistemas informatizados em outras empresas, fora da área cartorária, que de forma totalmente automática detectam os códigos de barras e fazem buscas pela numeração encontrada.

 

Esta idéia também pode ser expandida para os formulários de notas e certidões do registro civil.

 

Para encontrar um documento falso basta inserir um bloco de certidões num “scanner” que este software encontraria os documentos inválidos em poucos segundos.

 

Alguém poderia encaminhar esta sugestão aos responsáveis envolvidos com a confecção do novo papel?

 

Grato.

 

MARLON ROBERTO DE BRITO

Oficial - Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de Cabreúva (SP).

 

DJE 14.05.2010

DICOGE

PROVIMENTO CG N° 07/2010

Regulamenta o uso de papel de segurança nas certidões expedidas pelos oficiais de registro de imóveis, acrescendo o item 143.1 com os subitens 143.1.1 a 143.1.12 no Capítulo XX das Normas de Serviço da Corregedoria Geral da Justiça.

O Desembargador ANTONIO CARLOS MUNHOZ SOARES, Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, no uso das suas atribuições legais,

CONSIDERANDO conveniente o aprimoramento da segurança nas certidões expedidas pelos oficiais de registro do Estado de São Paulo, mediante o uso de papéis especiais;

CONSIDERANDO o que foi decidido no Procedimento CG nº 2009/00074074 – DICOGE 1.2;

RESOLVE:

Artigo 1º - Acrescentam-se o item 143.1 com os subitens 143.1.1 a 143.1.12 na Seção IV do Capítulo XX das Normas de Serviço da Corregedoria Geral da Justiça, com a seguinte redação:

143.1. É obrigatório o uso de papel de segurança na lavratura das certidões.

143.1.1. O papel terá elementos e características técnicas de segurança.

143.1.2. A fabricação e distribuição do papel de segurança será contratada pela Associação dos Registradores de Imóveis de São Paulo – ARISP, que deverá escolher empresa idônea e apta.

143.1.3. A indicação da empresa fornecedora e dos modelos de papéis de segurança serão submetidos previamente à homologação da Corregedoria Geral da Justiça.

143.1.4. A Associação dos Registradores de Imóveis de São Paulo – ARISP encaminhará ao fabricante a relação de todos os oficiais de registro de imóveis do Estado de São Paulo e dos substitutos designados para responder pelo expediente de unidades vagas e a manterá atualizada.

143.1.5. O papel de segurança será adquirido pelo oficial de registro direta e exclusivamente junto ao sobredito fornecedor aprovado pela Corregedoria Geral da Justiça.

143.1.6. Em cada unidade de serviço extrajudicial haverá classificador próprio para arquivamento da documentação referente à solicitação e recebimento do papel de segurança, com discriminação da quantidade de folhas entregues, utilizadas e estoque existente.

143.1.7. É defeso o repasse de folhas de papel de segurança entre unidades de serviço extrajudicial.

143.1.8. Os oficiais de registro de imóveis e os substitutos designados para responder pelo expediente de unidades vagas velarão pela guarda e conservação das folhas de papel de segurança em local adequado.

143.1.9. O fabricante encaminhará mensalmente à Corregedoria Geral da Justiça relação, em suporte digital ou de papel, das aquisições feitas pelos oficiais de registro de imóveis, para arquivamento.

143.1.10. As serventias serão identificadas na numeração lançada no papel de segurança e parte deverá conter o mesmo numeral atribuído pela Corregedoria Geral da Justiça.

143.1.11. O extravio ou subtração de papel de segurança, com a respectiva numeração, será objeto de comunicação ao Corregedor Permanente, o qual por sua vez comunicará a Corregedoria Geral da Justiça para fins de publicação.  

143.1.12. No final de cada bimestre o oficial de registro titular ou designado comunicará ao Corregedor Permanente a quantidade e a numeração de papéis de segurança danificados e a informação deverá ser repassada pelo Corregedor Permanente à Corregedoria Geral da Justiça.

Artigo 2º - Este provimento entrará em vigor em cento e vinte dias, contados da sua primeira publicação.

P.R.I.

São Paulo, 12/05/2010.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário